Braseel, Sobre a vida

10 meios de sair do Brasil se o impeachment acontecer

April 11, 2016

Não conheço uma única pessoa que esteja plenamente satisfeita com o atual governo. Na verdade, não conheço quem quer que seja que esteja plenamente satisfeito com o seu governo, não importando o país de origem. E isso me leva a pensar sobre a situação atual do Brasil; que requer um olhar cuidadoso, que vá muito além de simplesmente encontrar a figura do herói salvador da pátria que tanta gente anda buscando.

Um processo de impeachment, com cheirinho de golpe, foi instalado e deve ter sua votação na segunda-feira. O perigo reside na questão sobre a qual ninguém parou pra pensar: o dia depois do impeachment. Tira-se a presidente e então? Os acordos que estão sendo esboçados a lápis são facilmente apagáveis e meu maior medo é que um certo deputado da bancada evangélica venha a assumir o cargo de autoridade máxima da Nação Brasileira. Nossa visão anda tão curtinha e tolhida que só se ouve gente criticando alguns passos em falso dados pelo atual governo e gritando por sua saída. Mas não se pensa e nem se fala sobre o depois.

Pensando nisso me lembrei daquela classe média do texto de ontem, a que adora ir a Miami fazer compras e dizia que se mudaria para lá caso o governo fosse reeleito em 2014. Então a Kate escreveu um texto sobre 15 maneiras de sair do Estados Unidos caso o Trump for eleito e foi impossível não associar a figura do candidato americano à de um certo deputado preconceituoso e gastão da bancada evangélica. Bom, se os americanos têm medo do Trump, eu tenho é muito medo desse senhor.

Portanto, sem mais delongas, apresento aqui…

10 meios de sair do Brasil se o impeachment acontecer:

1 – Mudar para o Uruguay

Montevidéo

Em 2015 a Presidente Dilma Rousseff assinou um acordo com o então Presidente uruguaio, José Mujica, que “visa promover a livre circulação de pessoas, desburocratizar a concessão de vistos permanentes e permitir o reconhecimento de documentos expedidos nos dois países”.

Lado A: O Uruguai é um país lindo, pequeno, vizinho ao Rio Grande do Sul e portanto com hábitos parecidos aos da região. A barreira da língua não é muito grande, os uruguaios são simpáticos, gentis, a vida cultural de Montevidéo é animada e o litoral do país muito bonito.

Lado B: É um país caro, a oferta de imóveis em Montevidéo não é enorme e os preços dos aluguéis são salgados e falar bem espanhol é um pré-requisito para conseguir trabalho.

Este post da Adriana pode te ajudar a pensar melhor sobre o assunto.

2 – Estudar no exterior

No Nymphenbad, em Dresden, onde estudei em 2002.

No Nymphenbad, em Dresden, onde estudei em 2002.

Muitas faculdades americanas oferecem bolsas de mestrado e doutorado que cobrem o valor do curso e ainda dão ajuda financeira para o estudante. Em geral esse apoio financeiro é dado em troca de trabalho, o pós-graduando atua como monitor em alguma disciplina, corrige provas dos alunos de graduação etc..

Não apenas universidades americanas, muitas universidades européias oferecem programas parecidos. É só uma questão de procurar sua área de interesse, se inscrever e torcer para ser aceito.

Lado A: Você garante um diploma a mais para seu CV, ganha experiência no mundo acadêmico e abre mais portas, tanto no mercado de trabalho quanto no acadêmico.

Lado B: A não ser que seu país de escolha seja Portugal, é necessário ter fluência em algum idioma estrangeiro e prová-la através de certificado.  A tradução de toda sua documentação acadêmica tem que ser feita por tradutor juramentado e isso custa caro, assim como os exames de proficiência em língua estrangeira.

Lado B do lado B: Se você for para os Estados Unidos, corre o risco de ter Donald Trump como próximo presidente.

O 360 Meridianos já escreveu sobre estudar em diferentes lugares do mundo.

3 – Fazer “Au-Pair” na Europa

Morar em Paris é seu sonho?

Morar em Paris é seu sonho?

Uma boa idéia para quem gosta de crianças e quer conhecer melhor a cultura de outro país. A maioria das famílias que recebe estrangeiros em casa costuma ser bem aberta e gentil. É claro que também existem as que querem alguém em casa apenas pelo dinheiro que recebem com o aluguel do quarto, mas felizmente são a minoria.

Lado A: Total imersão na cultura de um outro país. Vai conhecer hábitos novos, a maneira como celebram festas, enfim, vai ter a experiência de fazer parte de outra família.

Lado B: Você pode ir parar numa família com a qual não se dê tão bem ou não se adaptar muito bem aos hábitos locais.

Aqui e aqui há o relato de uma brasileira que trabalhou como au-pair nos EUA e aqui na França.

4 – Pedir transferência para a matriz ou outro escritório

Berlitz em Manchester

Berlitz em Manchester

Uma boa pedida para quem trabalha em empresa multinacional é pedir transferência para a sede da empresa ou para escritório em outro país. Já dei muita aula de alemão para funcionários da Bayer e da Volks que estavam sendo expatriados para a Alemanha. A Nestlé e a 3M também costumam expatriar funcionários.

Lado A: Se você for expatriado vai contar com todo benefício da empresa te assessorando nos mínimos detalhes. Ela providenciará os vistos, ajudará a encontrar moradia, arcará com as despesas de mudança… Você só precisa arrumar a sua mala e embarcar.

Lado B: Dependendo do país para onde você for, pode ser que não faça amizade tão facilmente. Algumas culturas são um pouco mais fechadas e demoram mais a integrar o estrangeiro. Se você tiver ido completamente sozinho pode sentir um pouco de solidão no começo, o que nunca é fácil.

5 – Procurar um emprego no exterior

Simples assim e igualmente complicado. Se encontrar um emprego no Brasil já não é a coisa mais fácil do mundo, encontrar um trabalho em outro país pode ser ainda mais difícil. É claro que isso depende da sua área de atuação, dos seus contatos no país para o qual você quer ir, seu domínio do idioma local, se trabalhadores estrangeiros são bem aceitos etc.. Sem contar que, na maioria dos países, a prioridade da vaga costuma ser para candidatos locais.

Neste caso a empresa ajuda com toda documentação necessária para seu processo de imigração, mas os custos todos são seus.

Naty e Lucas e uma linda vista de Brno ao fundo.

Naty e Lucas e uma linda vista de Brno ao fundo.

Minha amiga Natalya e o marido se mudaram com cachorro e tudo para a República Tcheca em 2014 e ela tem escrito o ótimo blog “Vivendo em Brno“, onde conta algumas das experiências da vida lá. A Berlitz, escola onde trabalhei por alguns anos, tem unidades espalhadas pelo mundo todo e muitas delas buscam professores de português.

Lado A: Você já vai chegar na terra nova com um emprego garantido.

Lado B: Ao contrário da situação acima, quando você não está sendo expatriado todas as despesas são suas. É claro que a empresa ajuda na obtenção do visto, afinal de contas é do interesse dela que você possa permanecer no país, mas a coisa não passa muito daí. Todos os gastos com mudança, transporte, acomodação e quetais recaem sobre seus ombros.

6 – Imigrar para o Canadá ou para a Austrália

Antes de morar na República Tcheca, a Naty e o Lucas moraram no Canadá. Olha aqui eles nas cataratas do Niágara.

Antes de morar na República Tcheca, a Naty e o Lucas moraram no Canadá. Olha aqui eles nas cataratas do Niágara.

Não é um processo fácil, pois a concessão de vistos permanentes depende de uma série de pré-requisitos. Idade, estado civil, número de filhos, escolaridade e área de formação são os principais. Ambos países publicam listas dos profissionais que estão em falta e que serão bem-vindos

Lado A: Tanto Canadá quanto a Austrália são um países compostos por imigrantes, portanto não deve ser muito difícil encontrar a sua turma. Como a obtenção do visto depende da sua área de atuação é bem provável que a busca por emprego não seja árdua.

Lado B: O clima canadense.

Quanto à Austrália, há alguns episódios de xenofobia com quais é bom ficar atento e os animais venenosos. Não são poucos os relatos de gente que encontrou a aranha mais venenosa do mundo dormindo confortavelmente dentro do seu sapato preferido.

Este site contém milhares de informações para quem acha que o Canadá é a melhor opção. Se a terra dos cangurus é que faz seu coração bater mais forte, pode encontrar mais informações aqui.

7 – Imigrar para Israel

E pode aproveitar pra ler seu jornal confortavelmente sentada no Mar Morto.

E pode aproveitar pra ler seu jornal confortavelmente sentada no Mar Morto.

Provavelmente a melhor opção para quem faz parte da comunidade judaica. A lei do retorno diz que qualquer judeu tem direito a retornar a Israel. Ou seja, a morar lá na Terra Prometida.

A lei é válida para judeus de nascimento ou que tenham passado por processo de conversão. Os do segundo caso devem esperar um ano para dar entrada na documentação. Em ambos os casos os documentos necessários são providenciados na sinagoga que você frequenta e depois devem ser apresentados na Agência Judaica.

Lado A: Os custos com passagem são cobertos pelo Estado e, se não me engano, os primeiros meses de acomodação também. Se não forem, pelo menos têm um bom subsídio. Israel é um país lindo e cheio de oportunidades.

Lado B: Falar hebraico é imperativo. É possível se virar na rua falando inglês, mas não passa disso. Não é lá o país mais pacífico do mundo.

8 – Conseguir cidadania européia

passaporte

Se você nasceu no estado de São Paulo tem enormes chances de ter pelo menos um italiano na família. Através deste parente, que pode ser de oriundo de qualquer país membro da União Européia, você pode requerer sua cidadania provando vínculo familiar.

Independentemente da nacionalidade do seu parente, este não é um processo muito rápido, exige bastante documentação e é preciso ficar esperto com os prazos. Parece que a repartição que cuida da documentação italiana tem pouco tempo para dar conta do recado. Caso o prazo expire ou você o perca, é necessário voltar ao fim da fila e dar nova entrada no processo. O que eu ouvi dizer é que a coisa anda mais rapidamente em cidades menores. Sei, por exemplo, de um amigo gaúcho que conseguiu tudo com mais agilidade numa cidade do interior do RS.

Lado A: A cidadania é sua, pra sempre, não está vinculada a companheiro ou empresa. Você pode requerer benefício do Estado (mas só se não falava mal do Bolsa Família quando ainda estava no Brasil, hein?) e não terá problema algum para encontrar trabalho.

Lado B: Se o país da sua nacionalidade sair da União Européia você só poderá morar lá e não em qualquer outro país do bloco. Isso quase aconteceu com a Grécia e o Reino Unido vai votar a permanência deles na EU agora em junho.

9 – Arrumar um marido (ou mulher) estrangeiro

Ângela e Josh

Taí uma oportunidade para quem está solteiro e quer sair do país. Casando-se com um estrangeiro você já mata dois coelhos com uma cajadada só. O simples ato do casamento não te dá direito à cidadania do país de origem do parceiro, mas garante um visto de permanência que dá direito a trabalhar.

O processo de obtenção da cidadania é sempre mais complicado e demorado. A Inglaterra, por exemplo, exige um mínimo de cinco anos de casamento para o início do processo e é necessário pagar £1500,00 para fazer uma prova que te dará o passaporte britânico.

Mas lembre-se que o mais difícil não é o desembaraço com a imigração, mas sim a adaptação aos hábitos e costumes do marido estrangeiro e família. Faz um ano e meio que eu e o Josh estamos juntos e até hoje eu me acho que estão me servindo chá quando vejo a cor do café na xícara. O susto e a constatação do meu engano só vêm depois do primeiro gole.

Lado A: Você vai ter uma família gringa, o que ajuda muito a sua integração no país. Eles vão te dar toques quando você cometer alguma gafe, explicar a razão de certas coisas que podem parecer muito estranhas e te acolher.

Lado B: Você pode não dar essa sorte e não ser bem acolhida (ou acolhido) e aí vai ter que lidar com a adaptação em um novo país sem essa ajuda. Beber café crente que está tomando chá.

Lado B do Lado B: Conhecer alguém (estrangeiro ou não) pela internet é cada vez mais fácil e mais comum.  Vários amigos meus conheceram seus parceiros assim e são super felizes, mas é preciso ficar esperto para não entrar em roubada. Especialmente quando o romance envolve estrangeiros é preciso confiar desconfiando até passar do virtual pro real. O 360 Meridianos já escreveu um excelente post sobre golpes que podem acontecer em relacionamentos começados pela internet.

10 – Procurar um programa de visto que combine trabalho e viagem

Meu amigo Mateus na Nova Zelândia, onde trabalhou colhendo frutas numa fazenda.

Meu amigo Mateus na Nova Zelândia, onde trabalhou colhendo frutas numa fazenda.

Austrália e Nova Zelândia oferecem estes tipos de visto. Há um limite de idade para os candidatos, algo como 30 anos, mas pode ser uma oportunidade bem interessante.

Um ex-colega de trabalho da Tailândia conseguiu um emprego como instrutor de mergulho na Austrália assim. Um dos requisitos do visto era que ele trabalhasse como colhedor de frutas em uma fazenda por um certo tempo depois. Algo como quatro meses. Não sei se este é um requisito de todos os vistos de trabalho para a Austrália ou se foi uma característica específica do visto dele.

Lado A: São dois países com paisagens bonitas, montes de estrangeiros, em geral abertos a imigrantes, mesmo trabalhando em empregos que não requeiram maiores qualificações o salário é o suficiente para uma vida confortável.

Lado B: Como já foi falado antes, há alguns grupos xenófobos na Austrália. Há uma idade limite para se candidatar e o visto dura apenas um ano.

Aqui o link para o visto australiano e aqui o neozelandês. Minha xará Angela do Apure Guria já fez o processo para a Nova Zelândia e conta mais sobre isso aqui.

Meu amigo Tom, que foi para Austrália trabalhar como mergulhador.

Meu amigo Tom, que foi para Austrália trabalhar como mergulhador.

Dica bônus

Ângela Goldstein

Se nenhum d0s 10 meios de sair do Brasil anteriores te entusiasmar, você pode desistir de tudo, fazer um curso de mergulho e ir mergulhar na Tailândia, ou em qualquer outro lugar do mundo.

You Might Also Like

10 Comments

  • Reply Apure Angela! (@angiecomsardas) April 11, 2016 at 10:27 am

    Ahhh adorei esse post! Várias soluções! acho que o mais longo ali é a cidadania, até juntar toda a papelada e dar entrada no consulado leva muito tempo! até lá o gov já mudou ahueahue estamos no processo há 6 anos já e desistimos de tirar no BR..como ta meio caminho andado, vamos tentar direto lá na Itália! obrigada por me indicar guria!!!

    • Reply angelagolds April 11, 2016 at 12:01 pm

      Que bom que você gostou! =)

      Pois é, o processo de cidadania é uma boa para quem tem a opção, mas é custoso e longo.

  • Reply pay April 15, 2016 at 9:11 am

    Olá, gostei muito do seu post. Estou morando há 6 meses e meio na Australia (Melbourne) e
    nunca ouvi falar em grupos xenófobos aqui.

    • Reply angelagolds April 15, 2016 at 11:54 am

      Que bom que nunca ouviu falar! Espero que as coisas continuem assim! =)

  • Reply Rothbard April 18, 2016 at 6:20 pm

    Engraçado que o único país mais próximo do Socialismo é o Uruguai, por que você foge pro capitalismo?

    • Reply angelagolds April 18, 2016 at 7:54 pm

      Querido, por favor, não coloque palavras na minha boca. Em momento algum o termo “fugir” é utilizado durante o texto. Além disso, o debate capitalismo x socialismo, que também não está pautado neste post, é algo que ficou lá pelos anos 70 e que hoje em dia é pouco acalorado quando ocorre. Por fim, aqui há apenas uma lista de sugestões para que quem decidir usá-las possa fazer da melhor maneira que lhe convier.

  • Reply didizoto April 18, 2016 at 8:31 pm

    obrigado pela postagem! realmente vai ser MUITO BOM PARA O BRASIL que as pessoas que são contra o impeachment VAZEM daqui.

  • Reply Fábio April 18, 2016 at 9:40 pm

    Ué!
    Mas e Cuba? Venezuela? Coréia do Norte?
    Ein

    • Reply angelagolds April 19, 2016 at 4:32 am

      Menino! Não é que você acertou em cheio três dos meus desejos dos sonhos?
      Não coloquei na lista porque são países cujo processo de imigração é um pouco mais complicado. MAs fica aí a dica pra quem tem tempo e disposição!

  • Reply Leandro April 19, 2016 at 3:47 pm

    Quantos países capitalistas avançados maravilhosos para imigrar. Infelizmente, por aqui ainda votamos nestes porcarias anti capitalistas que destroem nossa economia, geram crise política e nos obrigam a sair do país. Belo post.

  • Digaí!