A viajante

Muito prazer, Ângela Goldstein, viajante semi-profissional.

2013-01-31 16.40.46

Eu nunca quis ser médica ou advogada, me lembro que quando eu era criança eu gostaria de ser professora e mergulhadora quando crescesse. Fazia inúmeros desenhos de como seria eu adulta nadando no fundo do mar segurando na nadadeira de um golfinho. É bem capaz, inclusive, que algum deles ainda exista na casa da minha mãe, em Campinas – SP.

Dei conta da primeira parte do plano ao entrar em Letras na USP em 2004. Com aquela convicção que só é possível ter aos 18 anos, tinha certeza de que seria professora de literatura de Colegial ou Cursinho Pré-Vestibular. É claro que não foi isso o que aconteceu, no último ano do curso fui contratada por uma escola para dar aulas de inglês para adultos. Nessa época eu também andava com certas inclinações acadêmicas, me imaginava fazendo um mestrado em Yale e dando aula em Harvard – quem nunca? – num futuro não muito distante. Acabei mesmo voltando pra USP e fazendo o meu mestrado por lá. Mestrado esse que me garantiu a excelente desculpa para uma viagem à Índia, que incluiu uma passagem pela Tailândia e assim teve início o meu caso de amor com o já quase esquecido desejo de mergulhar.

De volta ao Brasil não conseguia tirar da cabeça a enorme vontade de retornar à Tailândia,  a Koh Phi Phi para ser exata, por tempo indeterminado. Depois de conhecer pessoas que estavam vivendo naquele lugar e trabalhando com mergulho, eu tive certeza que eu faria o mesmo num futuro próximo. Terminei o mestrado, deixei o trabalho como professora e em julho de 2014 desembarquei em Bangkok com uma passagem só de ida e minha inscrição no curso de divemaster, meu primeiro passo para me tornar uma mergulhadora profissional.

Desde então já voltei pro Brasil, conheci o Reino Unido, a Bolívia, o deserto do Atacama, passeei nos Estados Unidos, voltei à Inglaterra e sigo sem lançar âncora.

E o que você vai encontrar por aqui? Um pouco de tudo isso: minhas impressões sobre a vida em Koh Phi Phi, o trabalho com mergulho, viagens passadas, desejos de viagens futuras, fotografias de lugares bonitos e algumas sugestões de passeios. Então, seja muito bem vindo e fique à vontade, a casa é sua, pode tirar o sapato e colocar os pés em cima do sofá.


1 Comment

  • Reply Eduardo November 8, 2016 at 2:28 pm

    Muito Bacana Ângela. Boa viajem.

  • Digaí!