Di cumê, Na Gringa

Como comer barato na Inglaterra: um pequeno guia

September 21, 2015

Não sou uma grandessíssima apreciadora de posts guias, tanto como leitora quando como escritora. Já existem tantos guias por ai, querendo um é mais questão de ir a uma livraria do que à internet, não é mesmo? Imagino que a maioria das pessoas que vem parar aqui, o faz porque gosta de ler sobre viagens através de uma visão bem pessoal; algo que guias não costumam apresentar. Mas encaremos este como o meu segundo roteiro gastronômico mais do que subjetivo. Querem um toque bem pessoal para aproximarmos nossa relação, leitores? Eu não sou muito chegada em Nutella. Abri meu coração.

Brincadeiras e divagações à parte, a inspiração pra escrever esse post apareceu quando comecei a rir de uns tuítes do Gabriel Britto e engatamos numa rápida conversa sobre a cotação da libra esterlina. Pois é, minha gente, em tempos de dólar alto não é nem bom parar para pensar com quantos reais se compra uma libra…

tuítetuíte

tuíteEu juro que não conheço ninguém tão pão-duro assim na vida real, não consigo imaginar alguém levando pacotes e pacotes de miojo dentro da mala pra economizar dinheiro com comida. Acontece que a cotação está mesmo desfavorável pra nós e a Inglaterra não é, nem de longe, um país de baixo custo. Londres então, parece que não há maneira de matar a fome sem ter que vender o almoço pra comprar o jantar. Meu cartão de crédito chegou a se recusar a sair da carteira em um dos dias que eu passei lá; fui tirar o bichinho lá de dentro e ele disse que não sairia de jeito nenhum. Achei melhor não discutir.

Pensando no caso de você, meu querido leitor, ser uma pessoa razoável, que não incluiu uma caixa de barrinhas de cereal na sua bagagem… Vem comigo que eu vou te mostrar alternativas razoáveis para você saber como comer barato na Inglaterra.

#comofas

A primeira coisa que devemos ter em mente é que, se você chegou até este pequeno guia, você não pretende ter refeições Padrão Marília*. O critério levado em consideração aqui foi o que eu – eu disse que esse seria um guia subjetivo, não disse? – considero razoável para me manter alimentada e de bom humor durante um dia de andanças. Todo mundo fica de mau humor quando está com fome, não fica?

O mínimo necessário considerado a seguir é:

– Café-da-manhã simples pois, como diz vovó, saco vazio não pára em pé. Uma bebida (que pode ser suco, café ou chá), um carboidrato e uma fruta.

– Almoço leve, pensando que num dia de turismo é comum andar bastante a pé e não há nada mais desagradável do que fazer isso de estômago pesado.

– Jantar com mais “sustança”. Não é possível viver à base de sanduíche e você ainda pode usar a desculpa de estar absorvendo a cultura local; a principal refeição dos ingleses é o jantar e não o almoço.

Aos lugares, então

Se o seu hotel não inclui o café-da-manhã na diária, não custa dar uma olhadinha no cardápio deles e ver o que é oferecido. Muitas vezes compensa comer por lá mesmo, tanto pelo preço quanto pela conveniência. Se essa não for uma opção, há sempre um Costa Café, um Café Nero ou um Starbucks em uma esquina não muito longe de você e além de não ser um crime comprar comida em grandes cadeias internacionais, há sempre uma poltroninha onde você pode se sentar para comer. Caso você queira privilegiar o comércio local, aqui no nordeste da Inglaterra há uma rede chamada Greggs que vende sanduíches e folhados a preços bem honestos; um folhado de queijo e cebola sai por £1,25. Me disseram que há franquias do Greggs em Londres também, eu não encontrei nenhuma, mas há várias padarias parecidas pela cidade.

Este é um dos poucos Greggs que têm mesinhas, só tem que ficar atento porque os preços são mais altos pra quem opta por comer na lanchonete ao invés de levar pra comer na rua.

Este é um dos poucos Greggs que têm mesinhas, só tem que ficar atento porque os preços são mais altos pra quem opta por comer na lanchonete ao invés de levar pra comer na rua.

Uma outra opção é comprar alguma coisa no Tesco e comer sentado no banco de algum parque ou dentro metrô mesmo. Um pacote com dois folhados de maçã ou dois croissants de chocolate sai por £1,00. Foi no Tesco que eu comprei, para o horror do Josh, uma das comidas mais esquisitas que eu provei aqui na Inglaterra: cookies de Skittles. Isso mesmo, com pedacinhos das balas na massa da bolacha, deliciosamente esquisito por apenas £1,00.

Gente, comi e gostei. Me julguem.

Gente, comi e gostei. Me julguem.

Outra boa pedida é a rede Prêt-a-Manger, há lojas espalhadas pelo país inteiro – só em volta da Trafalgar Square tem 3! – e tudo o que eles vendem é super gostoso! A proposta da lanchonete e vender comida saudável, fresca e a preços acessíveis. Os muffins são uma delícia e há várias opções de salada de fruta, tudo entre £1,00 e £2,00. Os supermercados também vendem potinhos com salada de frutas, mas não me pareceram tão apetitosos quanto os do Prêt.

Este Prêt fica bem no centro de Newcastle, nem todos têm mesinhas.

Este Prêt fica bem no centro de Newcastle, nem todos têm mesinhas.

Quando começar a bater a fominha do almoço é hora de procurar um supermercado à sua volta. Praticamente todas as redes oferecem um combo a preço fixo que é composto de: um sanduíche de pão de forma, um pacote de batatinha frita (que os ingleses chamam de crisps) e uma bebida. Como você vai combinar o seu trio fica a seu critério, é só escolher os produtos que estejam sinalizados como sendo parte da promoção.

Marks and Spencer, lunch combo, comer barato na inglaterra

No sanduíche há um selinho vermelho dizendo : “in the meal deal”. É só procurar outros produtos com o mesmo selinho e combinar.

Pelo que andei vendo por aí, o melhor custo x benefício é o do Tesco, os três ítens saem por £3,00. Já no Marks & Spencer o mesmo tipo de refeição custa £ 4,00, mas eu achei a comida bem mais gostosa. A rede de farmácias Boots também tem esses combos, assim como os supermercados Waitrose. É tudo uma questão de você encontrar o que vai fazer o seu estômago mais feliz pelo menor preço, já que as opções não costumam variar muito. Os sanduíches costumam ser de frango, bacon, presunto e atum, às vezes rosbife ou salmão defumado e, claro, quanto mais barato, mas simples o sanduba.

WaitrosePesquisando os supermercados para escrever esse pequeno guia, encontrei opções de saladas no Waitrose e na Marks and Spencer, com preços bem honestos também; a maioria por menos de £3, sem bebida. Mais pro fim do dia, cerca de uma hora antes do comércio começar a fechar, eles abaixam os preços para acabar com o que está nas prateleiras. Se você acordou mais tarde e ainda não está com fome por volta das 12:30, dá pra deixar o almoço pra mais tarde e pagar menos por ele.

A Silvia Oliveira do Matraqueando fez um post bem legal e completo sobre os supermercados de Londres.

Agora você já passeou o dia inteiro, comeu seu piquenique de três libras do Tesco no banco de alguma praça e não vê a hora de poder sentar-se confortavelmente em uma cadeira para descansar suas costas e seus pezinhos. Não aguenta mais esperar pelo seu momento “eu mereço!”, não é mesmo?

Pois bem, vamos a ele. Em nome da ciência e de conteúdo de qualidade, fui comer no restaurante do Jamie Oliver aqui em Newcastle para poder contar sobre a experiência pra vocês. Logo no primeiro dia que estava aqui na cidade vi que havia um “Jamie’s Italian” bem no centro e disse pro Josh que gostaria de ir lá pelo menos uma vez, fiquei impressionada ao ver que havia um monte de mesas disponíveis e me lembrar dos relatos de enormes filas de espera que ouvi sobre o mesmo restaurante em São Paulo. Fomos olhar o cardápio e, para a nossa surpresa, nos demos conta de que os preços eram acessíveis. Acessível não quer dizer barato, estamos combinados? Mas praticáveis e até bem parecidos com o que eu já tinha ouvido falar do irmão gêmeo paulistano.

jamies italian

Praticamente todas as opções do cardápio podem vir em tamanho pequeno ou grande, optei por dois pequenos para poder experimentar mais pratos; uma salada Bresaola e um Rigatone com molho de tomate. Para beber pedi uma água e não comi sobremesa, foi uma refeição mais frugal. Tudo muito gostoso, bem feito e bem apresentado. A melhor parte? Saí de lá satisfeitíssima e não muito pobre, com gorjeta a conta ficou em £13. Barato? Não. Viável? Sim. Infelizmente idas diárias a restaurantes como esse não cabem no meu orçamento, mas acho válido fazer uma ou duas refeições mais bacanas durante as férias.

Outra opção para um jantar legal para quem quer experimentar uma comida mais tipicamente inglesa é a rede de pubs “Wetherspoons”. É uma rede enorme, com cerca de 900 pubs espalhados pela Inglaterra e cada unidade tem um nome diferente – do mesmo jeito que existe o “América do Shopping Iguatemi” e o “América da Paulista” – mas as opções de comida são sempre as mesmas. Aqui dá pra ver o cardápio deles, sem os preços, pois eles variam de acordo com a região do país e mesmo da cidade. Dá pra fazer uma refeição bem gostosa por menos de £10 num “spoons”, como os ingleses chamam a rede.

wetherspoons

No site deles dá pra procurar o “spoons” mais perto de você

Ainda uma boa opção para não gastar muito e ter uma experiência 100% britânica é comer os famosos “fish and chips” – peixe empanado e batatinhas fritas. Os filés de peixe mais comuns são haddock a bacalhau e seguem o critério “quanto mais barato, mais engordurado”, apesar de essa nunca ser uma pedida exatamente light. Uma porção de “fish and chips” custa entre £4 e £10, dependendo do tamanho e do restaurante.

fish and chips

Agora, uma curiosidade para nós que ainda, mesmo que só às vezes, acreditamos no “mito do europeu rico”: gente, a Inglaterra é cara também para os ingleses! Juro por D’us! Eu sei que é meio ridículo achar isso uma curiosidade, mas é que a gente tende a sempre imaginar os europeus como sendo super ricos e acaba se surpreendendo quando percebe que eles não comem fora com a mesma frequência do brasileiro classe média. O inglês classe média raramente come fora de casa, idas a restaurantes são reservadas para ocasiões especiais.

*Uma refeição Padrão Marília equivale a três estrelas Michelin ou mais, não relevando o fato que a nota máxima do guia Michelin são três estrelas.

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply angiesantanna September 22, 2015 at 8:36 pm

    Sempre me perguntei como será que conseguiria sobreviver em Londres na barateza…eu quero muito conhecer, mas o que me impede é a libra (ainda mais agora, tá cara horroooores)..obrigada pela dicas, não sabia que poderia existir algo tão mágico como combinar os selinhos dos produtos (nunca nunca tinha visto isso). Voltarei mais vezes no blog…btw, amei a raposinha!!!! :*

    • Reply angelagolds September 23, 2015 at 6:09 am

      Essa combinação do selinhos pra refeição sair por £3 é realmente uma coisa maravilhosa! A gente só tem que ficar atenta porque às vezes o sanduíche que mais te chama a atenção não está na promoção…
      Eu também amo a minha raposinha! =)
      Volte sempre! Bjs!

    Digaí!