Uncategorized

O que eu vi com o Taglit – 2

August 12, 2013

Sfat e Haifa já devidamente comentadas, bora conhecer Tel – Aviv?

O dia que passamos em Tel-Aviv foi um dos mais esperados, pois quatro soldados e quatro ex-soldados entrariam no nosso grupo. É uma oportunidade bem legal que temos de entrar mais em contato com a cultura israelense, conhecendo gente da nossa idade e que passou por experiências tão diferentes.

kikar rabin

Primeiro visitamos a praça Kirkar Rabin, onde o ex-primeiro ministro Itzhak Rabin foi assassinado em 1995. Eu era meio pequena quando isso aconteceu, portanto não lembrava muito bem das circunstâncias e só vagamente da razão; ele tentava acordos de paz com os palestinos e as negociações até caminhavam bem. Ironicamente, Rabin foi morto por um ortodoxo que discordava de suas idéias.

Kikar RabinItzhak RabinKikar Rabin

Esses pontos marcados no chão são referentes às posições que Rabin, o assassino e os seguranças ocupavam na hora do atentado; na foto do meio temos uma estátua do Rabin e a foto da direita a praça e a prefeitura de Tel-Aviv. Saindo de lá fizemos uma parada no shuk para o almoço e rumamos para o Indepence Hall, o museu da independência do país.

Instalado em uma casa no centro da cidade, ele não tem nada de grandioso, muito pelo contrário. É uma construção bonita, que pertenceu ao primeiro prefeito de Tel-Aviv, Meir Dizengoff, e que foi transformado em museu de arte depois da morte de sua mulher. Em uma das salas do museu foi declarada por David Ben Gurion, no dia 14 de maio de 1948, a independência do Estado de Israel algumas horas antes do mandato britânico sobre a Palestina terminar.

Indepence Hall

O barbudão da foto é Theodor Herzl, o primeiro judeu a levar adiante a idéia de um Estado judeu. O fim da visita é muito emocionante, pois eles mantiveram a sala exatamente da mesma maneira em que ela estava em 1948 e a guia do museu toca a gravação da declaração da independência na voz do próprio Ben Gurion e depois a Hatikva, o hino nacional de Israel. Dá pra ouvir no site do museu, aqui.

Fora do museu o calor estava de matar, Israel em agosto tem a agradável temperatura de um forno em temperatura alta ligado há três dias, então a turma toda foi pra praia tentar se refrescar. Infelizmente não deu muito certo, já que a temperatura da água estava quase no ponto de fervura, mas água é sempre bom então todo mundo se divertiu.

Praia de tel-avivPraia de tel-avivTel-Aviv

Da praia foi voltar pro ônibus e rumar pra Jerusalém.

You Might Also Like

No Comments

Digaí!