Uncategorized

Um passeio pelo Napa Valley a bordo do Wine Train

April 19, 2016

Quem nunca sonhou em visitar o Napa Valley na Califórnia que atire a primeira rolha! Quem nunca sonhou em embarcar nos vagões do Napa Valley Wine Train é porque nunca soube da sua existência.

Wine Train

 Já começou a se imaginar lá dentro e guardou meia dúzia de moedas no porquinho pra ir o mais rápido possível? Ou vai me jogar a primeira rolha?

E como foi que eu descobri o Wine Train?

Quando soube que o famoso vale ficava bem pertinho de Davis, onde estaria hospedada, comecei a procurar por passeios pela região. O primeiro que encontrei foi um de bicicleta pelas vinícolas e me chamou muito a atenção. Mas ao descobrir que grande parte do trajeto seria feito na beira da auto-estrada e que o almoço não estava incluso me desanimei bem rapidamente. Ainda mais depois de saber que corria o risco de não encontrar mais um sanduichinho que fosse nas prateleiras das Delis à beira da estrada.

Eu buscava algo parecido com o que havia feito no Chile em 2011, quando fiz o tour da La Bicicleta Verde. Os caminhos eram por dentro dos vinhedos e o almoço, que estava incluso no pacote, acontece no fim do passeio com todo mundo confortavelmente sentado à volta da mesa.

Enfim, com alguma tristeza descartei a possibilidade da bicicleta e fui procurar alternativas. Mas então me dei conta de que precisaria de duas coisas fundamentais para um planejamento independente e percebi que não tinha nenhuma delas. Não tinha carro e não tenho o menor conhecimento sobre vinhos. Eu precisava de alguém que me mostrasse aonde ir e que me levasse até lá. E foi aí que o Wine Train entrou na história, recomendado por uma amiga americana.

E como é o passeio?

Wine Train

O trem sai da sua própria estação – vejam que chique! – que está a cinco minutos de distância do centrinho de Napa e ela tem estacionamento próprio e gratuito.

Assim que você chega à estação só precisa se apresentar no balcão, caso já tenha sua reserva, ou perguntar quais os tours disponíveis e se ainda há lugares vagos. Como o nosso passeio também incluía uma visita à vinícola Grgich Hills ganhamos um brochinho pra colocar no casaco e os guias poderem nos identificar na hora de descermos. Esperamos ainda um pouquinho na ante-sala da estação e logo os passageiros são chamados para o embarque pelos alto-falantes. Lá fomos nós.

Wine Train

Se por fora o trem já é a coisa mais linda, é dentro que você fica mesmo boquiaberta. Os vagões que eles usam, e onde nos sentamos!,  são os antigos vagões da primeira classe da Northern Pacific Railway. Foram construídos em 1915 e agora estão restaurados para manterem o estilo e o charme da época. Realmente parece uma viagem no tempo, não fossem os carros passando na auto-estrada ao lado e você se veria transportado ao século passado.

Wine Train

Assim que você escolhe seu assento já recebe uma tacinha de vinho, a única grátis do passeio, uma cestinha de maravilhosos pães bem quentinhos e o menu.

Wine Train

Logo o garçom vem tirar o seu pedido, pois o almoço é servido no caminho de ida para a vinícola. A refeição é completa; com entrada, prato principal e sobremesa. No cardápio há sugestões de vinhos que harmonizam com cada prato e são cobrados a parte, assim como outras bebidas não alcóolicas. Só o bom e velho copo d’água é gratuito e foi ele o meu escolhido para companhia durante a refeição. Como sabia que haveria uma degustação na vinícola, preferi me enganar dizendo que não sou de beber muito a admitir o pão durismo na hora de deixar o vinho de lado.

DSC_0153

A viagem vai seguindo e entre uma vinícola e outra o melhor almoço da viagem aparece na sua frente.  Enquanto isso os garçons vão nos mostrando e explicando as histórias das propriedades pelas quais estamos passando. Meu único receio em relação ao passeio era justamente o fato de o trem ir beirando a auto-estrada, justamente um dos motivos que me fez desistir da bicicleta. Achei que o trajeto de ida e vinda tinha grandes chances de ser chatíssimo e até meio feio. Felizmente eu estava bem enganada.

Napa Valley

Apesar de não ser o cenário mais lindo do mundo é mais bonito do que se possa imaginar e as explicações vão tornando tudo mais interessante. Fica aqui a dica de se sentar nas mesinhas que estão mais próximas ao prédio da estação na hora do embarque (gente, sou ambidestra e não sei distinguir direita e esquerda. mal aê).

Grgich Hills

Grgich Hills

A primeira coisa que eu perguntei à moça da estação foi a pronúncia correta do nome da vinícola. Fica puxado pro falante nativo de português ver uma palavra com apenas uma vogal. Gentilmente ela me disse que é “GuiRguich” e que este é o sobrenome de um dos sócios.

Assim que descemos do trem o guia já nos entrega a taça que será nossa companheira pela próxima hora e receberá cinco vinhos diferentes. Passamos primeiro pelo lugar onde as uvas são recolhidas e processadas. É ali que o guia nos conta a origem do nome da vinícola: Grgich é o nome de um dos sócios e Hills é o do outro. Não são estas as hills que emprestam seu nome à vinícola.

napa valley

Mais um pouco e chegamos ao lugar onde são guardados os tonéis e vamos sabendo um pouco mais sobre a história da vinícola e de seu fundador. Mike Grgich veio da Croácia (na época ainda Iugoslávia) para os Estados Unidos um pouco depois da Segunda Guerra e trabalhou em diversas vinícolas até chegar a ter sua própria. Ele já tinha alguma experiência no assunto pois esta era a atividade da sua família na terra natal e isto lhe ajudou a garantir o título de melhor Chardonnay do mundo na competição de Paris em 1976. Não só o Mike levou o troféu, ele também ajudou a colocar o Napa Valley no mapa da produção de vinho mundial e deixou diversos franceses bufando de inveja.

Grgich HillsMais uma tacinha e outra depois, o trem voltou e embarcamos novamente. Dessa vez com uma companheira a mais, uma garrafa de Fumé Blanc, o meu preferido do dia.

A viagem de volta vem acompanhada da sobremesa e uma xícara de café (ou chá) e às 14:30 desembarcamos na estação do Wine Train muito bem alimentados e felizes.

Serviço:

O tour que nós fizemos foi esse aqui, mas eles também oferecem outros.

Reservas podem ser feitas pelo telefone +1.800.427.4124 ou pela internet.

Chegar à estação do Wine Train é muito fácil. Se você estiver hospedado em Napa pode ir a pé, são apenas 5 minutos de caminhada a partir do centro. Estando em San Francisco é possível ir de balsa ou de carro. No site eles dão mais detalhes sobre como chegar até lá.

*O Naonde? tem o compromisso de transparência total com os leitores e informa que estive a bordo do Wine Train como convidada deles.

You Might Also Like

No Comments

Digaí!